quarta-feira, 3 de março de 2010

Um bicho pra chamar de meu

.
Cada profissão tem seus fetiches próprios, e zoólogos não são diferentes. Um dos sonhos inconfessáveis que muitos bichólogos acalentam é terem uma espécie batizada com seu nome. Pra que isso aconteça, algum colega de profissão tem que descobrir uma espécie que ainda não foi formalmente descrita, e então fazer a descrição. A descrição é algo chatíssimo, cheio de palavras longas e ininteligíveis, que deve ser publicada em alguma revista científica que aceita esse tipo de, digamos, burocracia científica. E se, ao fazer tal descrição, seu colega achar que você merece, ele pode muito bem decidir dar seu nome à espécie.

E aí nascem coisas como Draculoides bramstokeri, ou Juscelinomys candango (um camundongo de Brasília, aparentemente extinto!), ou Piseinotecus divae (em homenagem a uma pesquisadora chamada Diva e a seu cachorro Teco, em quem alguém certa noite pisou – juro, é tudo verdade!).

Pois é. Quando eu ainda era uma bióloga dedicada, que achava que uma tese era a coisa mais importante de minha vida (e, pobre de mim, passei por isso duas vezes), confesso que devaneava que alguém iria me dedicar um bicho. Claro, não esperava nada muito vistoso, como uma ave ou um mamífero, nem mesmo um caracol bonito ou uma borboleta. Esses daí são, sem querer criar uma confusão zoológica, mosca branca. Você tem que se dedicar muito, muito, muito para ter a honra de ser homenageado com algum bicho que não precise de lupa para ser visto.


John Cleese: Avahi cleesei, um lêmure de Madagascar (dã, como todos os lêmures), que homenageia os esforços do ator pela conservação dos lêmures. (Fonte da foto aqui)

Em geral, você é homenageado com algum bicho muito menor, um invertebrado bem pequenininho que ainda não tinha sido reconhecido pela ciência pelo simples fato de que é difícil de ver. Para dizer a verdade, por muito tempo invejei meu cartunista favorito, Gary Larson (o cartunista favorito de 10 entre 10 biólogos, ao lado de Fernando Gonsales), que inspirou o nome de uma espécie de piolho que só dá em corujas (!). Ele declarou publicamente ter ficado extremamente honrado com o fato, mesmo porque ele jamais teve a ilusão de que seria algum cisne que receberia seu nome.

Gary Larson: Strigiphilus garylarsoni (Fonte da foto aqui)

O tempo se encarregou de me fazer abandonar essas tolas ideias da juventude. Mudei de profissão (várias vezes), e da cientista hoje só restam os diplomas, um currículo desatualizado e uma série de maus hábitos mentais, que me fazem tratar qualquer assunto como um objeto de estudo sistemático. Em resumo, fazia anos que nem pensava nessa coisa de ser imortalizada por meio de um epíteto latino.

Até que uns dias atrás, estava eu fuçando o Google Books, pra ver se aqueles safados estavam infringido algum de meus parcos direitos autorais (não estavam: quase todos meus livros estão lá, mas só os títulos), quando me deparei com algo espantoso:

Uma espécie com meu nome!!!!

Pode ser verdade? Não, tem que ser engano.

Demorou um pouco mas afinal constatei: não era engano. De fato, uma espécie fora batizada com meu nome em 1997, e eu jamais soube disso... até agora.

Bom: pra encurtar a história, nos idos de 1989, durante uma viagem de trabalho a Rondônia, eu recolhera algum material zoológico, que depois foi incorporado ao acervo de um museu científico. No meio desses exemplares, veio ou vieram algum(ns) representante(s) de uma espécie ainda desconhecida pela ciência, um opilião que acabou recebendo o sonoro nome de Stygnus marthae. É, eu, é, é. Vasculhando na internet, não achei informação absolutamente nenhuma sobre o bichinho. É algum animal totalmente insignificante, provavelmente conhecido apenas pelos exemplares que peguei.

Não encontrei foto nenhuma do elemento, mas ele deve ser meio parecido com isto daqui:

(foto tirada daqui)

Pode não ser nenhuma maravilha, mas tem o meu nome. É meu, meu, meu! rsrsrsrs

Bom, agora lanço um desafio. A primeira pessoa que conseguir uma imagem do bichinho e me enviar, vai ganhar um exemplar autografado de algum de meus livros, a escolher:

– O Vampiro da Mata Atlântica (Idea, 2009)
– O Vampiro Antes de Drácula (Aleph, 2008), com Humberto Moura Neto.
– Relações de Sangue (Giz, no prelo)

Mas tem que provar que é o bicho, hein???

É isso aí. Mãos à obra, pessoal!

beijos a todos,
Martha

14 comentários:

Giulia Moon disse...

Hahahaha!
Parabéns, dra Martha! Não consegui captar ainda o discreto charme desse bichinho, mas o nome é legal, sem dúvida. Beigius!

Mario Carneiro Jr. disse...

Wow, que legal! Que honra, parabéns!

Ei, a Giz vai republicar o Relações de Sangue, é? Que legal, já tem acordo para publicar a continuação daí?

Abraço!

Dennis disse...

Adorei!!! Me empolguei com sua empolgação. bjs

Gil disse...

hmmm... Se você descobrir onde está depositado fica um pouquinho mais fácil. Tem um cara no Museu Nacional que trabalha com Opiliones. Deve ter por lá. Fala com ele adrianok@gmail.com, é Adriano Kury. Não o conheço pessoalmente, mas já ouvi falar por proximidade de grupo *entomólogo*

De qualquer forma posso procurar amanhã através dos PCs da faculdade, que têm acesso à artigos "não visíveis" aos PCs de mortais. hehehe

Parabéns! o/ (E Opiliões não muito bacanas!!)

Martha Argel disse...

Oba, quantos comentários :-)
Valeu, gente.

Giulia, talvez o charme seja tão pequeno quanto o bicho, e nem dê pra ver, rsrsrs. Não, brincadeira, opiliões são engraçadinhos, apesar do que eu disse deles no Vampiro da Mata Atlântica, rsrsrs.

Viva, Mario, você percebeu a novidade escondidinha ali, né? Pois é, Relações de Sangue volta às livrarias, com algumas novidades. E Amores Perigosos pode finalmente estar a caminho...

Dennis, que legal ver você por aqui, que bom que gostou do post.

Ei, grande Gil, você já saiu na frente, hein? Olhaí o exemplar autografado de algum livro te acenando ;-) Continua assim que você vai descobrir um monte de coisas, rsrsrs.

beijos a todos!

Gil disse...

Opa opa opa... O Vampiro Antes de Drácula autografado pelos autores saindoooo... =D

Taí o desenho do bicho retirado do artigo original: http://img190.imageshack.us/img190/7268/stygnusmathae.jpg

O artigo em que ele foi descrito é: PINTO-DA-ROCHA, R. 1997. Systematic review of the family Stygnidae (Opiliones: Laniatores; Gonyleptoidea). Arquivos de Zoologia , 33(4): 179-358.

\o/
hehehe.. Bem, não é foto, mas tem todos os caracteres que o diferem de todas as outras espécies do universo. hehehe...

para ler o artigo completo: http://vida.ib.usp.br/~ricrocha/publicacoes/PintoDaRocha1997Stygnidae.pdf

Isso ae..

Bjs.

Guilherme disse...

Hehehehe...Martha, entre outras coisas, mulher-aranha!

Martha Argel disse...

Meu Deus, Gil, mas você é rápido mesmo!!!
É isso aí, esse é mesmo o bicho.

Seu Vampiro Antes de Drácula já está aqui separado, quando a gente for pro Rio te entrega com pompa e circunstância!

PARABÉNS e obrigada!!!

beijos

Martha Argel disse...

Ei, Guilherme, tá me chamando de venenosa? rsrsrsrs
obrigada pela visita e pelo comentário!
beijossss

Luciana Fátima disse...

Querida,

...isso aí!! A escritora-doutora imortalizada em uma das suas fantásticas descobertas!

Parabéns por tudo, o opilião, a nova edição do livro e tudo mais que estiver produzindo!



Darkisses!

Gil disse...

Aeeeee... \o/ Consegui.. Santo foi o atraso do meu orientador hoje, daí lembrei de dar uma olhadinha no google UFRJ...hehehe...

Aguardo o prêmio.

Beijos!

Martha Argel disse...

Valeu, querida CoLUjinha, obrigada pela visita, pelo comentário e pelo carinho. Espero logo sair de meu retiro literário, e poder curtir mais os eventos.
No sábado eu tava meio fora do ar, não conseguia tirar a cabeça do trabalho :-P

Aí, Gil, legal. Obrigada pelo carinho de tantos anos!
Agora no fim de março, quando Humberto e eu formos pro Rio, o prêmio chega na sua mão.
E dê lembranças ao seu orientador, rsrsrsrs.

beijossss

Tietta Pivatto disse...

Muito legal, Martha, parabéns! Pode ser pequenino e desconhecido, mas agora ficou eternizado com teu nome!

Merecida homenagem!

Beijos

Tietta Pivatto
Bonito - MS

Martha Argel disse...

Oi amiga de passarinhadas! Alguém precisava ir lá contar pro pobre do bicho que ele vai carregar meu nome nas costas pela eternidade, rsrsrs.
Obrigada pela visita e pelo comentário :-)
beijossss, e nos vemos em breve! ;-)